Grito Rock 2013

Wesley cantando Tipo de rua

AFAL

Apresentação no Grito Rock 2013

FAMU 2012

Cantando À favela

FAMU 2012

"Quando sua vida mudar favela dirá amém, só não se esqueça do bairro pobre de onde veio"

segunda-feira, 27 de outubro de 2008

Faladô (2007)

Faladô (AFAL)

Oia lá em baixo oia lá vê a zinca
quer subir o morro escalando na avenida
quer pegar bandido quer forjar fragrante
vai pega as roupas e coloca no arame
assim fica difícil a visão fica embaçada
quem foi o safado que já caguetou a área
já basta o Zé polvo que paga pau prus homens
pega o que tiver cava um buraco esconde
num era pá ser assim era pá ser diferente
todo mundo unido sem conversa entende
oia lá pá frente barulho de sirene
a molecada correndo a final quem não treme
pega o que tiver calibra entope
se me apavora eu prego o dedo e alguém morre
os coxinha pensa bem que fuder com a vida nossa
só que nóis também num alisa na proposta
nóis num tem escola mermo a saúde tá precária
pôr isso eu num dispenso se quiser trocar umas bala
o cagueta mermo gosta de inferninho
fuma um... e solta língua Zé polvinho
pô da entrevista mancada acha que é o cara
cagueta ate a mãe pelo um tubo de cachaça
que nada
quando anda com dinheiro, ai se vê quem é
tira todos truta e paga cerva pás muié
cabelo arrepiado pano loco da hora
mora na favela e passa fome pela moda
agora eu sei quem foi que entregou a atividade
cê rouba ate irmão, pô mó cabritagem
só anda com comedia é escravo dos que manda
cuidado né se não cê vira planta

Refrão

Ei pode crê
ou pode vim e vê
vai puxa minha ficha minha corrida e vai entender
tudo que eu fiz foi a favor da comú
agora cê quer vim e atrapaia quem é tu
que acha que é o pã quer chegar e botar banca
oi pá favela sente a fé num espanta
sente a firmeza que tem nos verdadeiro
só bicho do cerrado união família Gueto
vich oia lá falador deu mancada
deu brecha com outro mano agora não desce na área
tem uns nego que é bandido ai eu boto fé
num tem outra opção puxa o ferrolho e vê qual é
intimida ate policia que gosta de aventura
olha pru negão sente o back a bala fura
o quilombo da favela tá bem organizado
e nóis num consigna escariotes sai voado
todo mundo fé em Jah pode crê é isso mermo
correndo pela paz prevalece os maloqueiro
porque nóis é favela e todo mundo sente isso
e ninguém mais acredita né conversa de político
caminha na quebrada
prometendo cesta básica
olha pro meu povo e vê os voto que piada
a diferença pro pilantra é que ocê num mora aqui
convive na quebrada e rouba o irmão pera ai
ninguém derruba o outro sem motivo na favela
se deitou mais um pode ser que é pelas guela
a verdade é que te deixa em pé
ando pela sombra em Yeshua tá minha fé

Refrão

Olha o pilantra quer pegar mais um
mexeu com nego errado num da outra saca e bum
ei cabritagem é melhor se se tocar
pegar as regras da favela e começar a estudar
os olho de tandera faz muchar ate arruda
só fica na inveja só na globo ai afunda
os bico do outro lado quer fazer a divisão
Rap verdadeiro num existe sem ação
re quer te tudo né quer pagar de boy
andar de importado infelizmente né pá nóis
bota um som ali no bar no orelhão liga a rapa
chama os lá de riba eu liguei os da baixada
todo mundo unido sem pilantra ai já era
as preta firmezeira logo chega na viela
os crentes que respeita sabe interpretar
também já foi daqui quem sabe um dia nóis tá lá
a vida é um aprendizado e quem aprende tá rilex
e o tempo é curto truta anda logo se aprece
ei corre lá vai quita todas conta
anda pelo certo e tira o nome de pilantra
para de rouba chegado na viela escura
para de rouba as tia que vive na luta
Aquisição pancada que racha o crânio
morro e baixada aqui do cerradão Goiano
nem tudo que eu vejo vira Rap tá ligado
maloqueiro liga e na letra tem cuidado
Rap de Favela e os irmão na atividade
um cuida do outro Fé em Jah comunidade.

Ler ouvindo a música

Marginal latino (2007)

Marginal latino (AFAL part. Korte Liriko)

Ser marginal
não é ser criminal
é sobreviver nessa margem social
com tanta miséria e pobreza nessa vida
cabeça no lugar pra manter a família
pra permanecer/ tem que Ter/ proceder
e não se envolver
você vê o amanhecer
vem cá/ pra olhar
a derrota do inimigo
que não pode contigo
não se vender significa estar vivo
os parceiros lá do México...
Rap é universal Korte LiriKo
Brasil AFAL
numa luta social
e sem duvida de erros também sou marginal

Reduzido limitado
a estatística pru estado
inimigo publico a todo tempo preparado
lutando em prol de algo
que favoreça nosso lado
globalização de violência fome e álcool
relações idéias que te prejudica
sociedade capitalista
afogada em divida
desemprego exclusão
pouca saúde e diversão
uma miséria promovida da nossa nação
pátria, amada eu lutando e nada em casa
um chapéu de palha
mão calejada e enxada
problema aumenta a cada dia
nessa democracia
e continua as mentiras
mudanças na economia
te privam do necessário
filho, mulher, casa cadê o salário
num quer pagar 15 pelo meu serviço
desvaloriza eu faço pôr 10 e vai ficando difícil
mais quem pagou os 10 só tinha 10 tá entendendo agora
tá tipo eles criando nos numa grande gaiola
submissos a eles impostas pôr regras e leis
regredindo nossa aldeia sua verdade tá sem nitidez
quem são vocês
que negam informações e distribuem a droga lícita da embriagueis
ocultando e dopando a nossa fixidez de vez

Refrão 1X

Marginal latino
do Brasil México
guerreiros suburbanos unidos pelo o protesto
Rap do fundão
da favela a Detenção
nois nunca desiste irmão
pronto pra levar canção
então

vai Acabar sua demagogia
quando cê vê as perifa
derrubando as guaritas
e libertando os legionários prum novo caminho
onde exista igualdade pra todos latinos
periferia atura
incrível conjuntura
economia fracassada munição ferro e vai pra rua
se todo mundo entender nois vai chegar tranqüilo
toda rapa na ativa cantando nosso hino
o marginal latino
em posição de risco
pra sustentar o filho
não enxerga o perigo
um justiceiro solitário que descende de índio
vai resistindo as batalhas
travadas
dentro da quebrada
e cada área
tem sua historia contada
pôr quem morava
ou mora
são historias
verídicas
sobre vidas
perdidas
consumidas
pôr la vida bandida
fica
a minha
pergunta
no ar
será que o jeito que ta
da pra levar
sem desnortear
sem aumentar
a estatística
de violência
em conseqüência
o amor que parece que sumiu
du Brasil
diluiu
do coração
da nação
Aquisição
na ação
resgatando os irmão
na união
em forma de canção
pus mamus pas mina
pas comús
pa trinca
um dia nois vai chegar
e constar
pra quem duvidar
Tá nu ar
O protesto marginal
AFAL
na idéia central
e tal
pas capital
interior mundial
na luta social
os mexicano os brasileiro num só ideal

Refrão 1X

Marginal latino
do Brasil México
guerreiros suburbanos unidos pelo o protesto
Rap do fundão
da favela a Detenção
nois nunca desiste irmão
pronto pra levar canção
então

Atados de pies y manos
Latinoamericano
Marginado
Brasil y México poniendo la voz en alto
soy que por que estamos artos si, de gobiernos
interesados en llenar sus propias manos
y a los de abajo?
que se los llebe el karajo
dime que pasa?
si los politicos estan de casa casa, caza
y en la casa ya no alcansa
o ni para llenar la pansa
pero con sus slogans te dicen "el pueblo avanza"
es una nueva farsa
para sus nuevas finanzas
estampida de ratas devorando esperanzas
y ke pasa?
si mi gente poco a poco ya sucumbe
se consume
y cansados anelan tocar la cumbre
pero como ya es costumbre un paso mas
y te tiran para trás
no se puede mas con su politica que nos margina
tan solo imagina
tener que vivir, bestir, comer con la mínima
es típica
la forma criminal
marginal
que vive latinoamerica marginasion
emitida por el sistema activo humillacion
para el pobre por el blanco rico represion
por tener nulo poder adquisitivo
dejando a un lado a los que siempre piensan positivo
obligados a ver por uno mismo y asi mismo
luchando mas latinoamericanos hermanos cansados
basados
por los hechos de la cruda realidad
nuestras voces son las armas que todo pueden cambiar
marginados unidos para los pueblos levantar
levantar.

Ler ouvindo a música