Grito Rock 2013

Wesley cantando Tipo de rua

AFAL

Apresentação no Grito Rock 2013

FAMU 2012

Cantando À favela

FAMU 2012

"Quando sua vida mudar favela dirá amém, só não se esqueça do bairro pobre de onde veio"

sábado, 7 de janeiro de 2012

Caos (2008)

Caos

AFAL

Chile, brasil latinoamerica em el caos...
Sei como é,
Dificuldade não da pé,
Opressão da nação tá na ação vai na fé,
América latina vive um tema global,
A violência constante sobrecarrega o caos,
O mal causado pôr pessoas que saíram daqui,
Do seu voto com esperança de mudar isso ai,
Submetendo você a um teste de resistência,
De fome de violência,
E o nível de decadência,
Somado a inconsciência,
Vai aumentando a freqüência,
Do partido de bandido,
Sem parque sem carrinho,
Agrega os meninos,
Pôr falar nisso,
O morro do cachimbo,
É um exemplo pratico,
Do esquecimento partidário,
Formado,
Pelo safado,
Engomado,
Que com o nosso dinheiro comprou carro importado,
Que só aparece na favela em benefícios próprios,
Em campanha na caça de votos,
Enquanto o resto do ano vivemos na beira do ódio,
Criado pela má qualidade estrutural,
Formando morro, favela sem condição social,
Habitante fiel do barraco de madeira,
Fugir do aluguel e rala a noite inteira,
No outro dia tem favela nova que nasceu,
No apogeu,
No extremo limite da cidade,
De nome coletivo adaptado comunidade,
Na verdade,
Decisões são tomadas nada passa pôr aqui,
Regredir,
Progredir,
Não depende só de mim,
Em fim,
São pessoas,
Lutadoras guerreiras levada pela emissora,
São coisas tão tentadoras,
Tipo novela propagandas e outras,
É foda,
Saber que encomoda,
Saber que "nego" acomoda,
Vendo tv,
Nada pra fazer,
Já tá sem trampo umas horas,
E nem quer saber,
Porque,
Tá começando o programa que ele gosta,
E já vai ser,
Você,
O principio do caos,
Sem formação cultural,
Sem identidade um robozinho governamental,
E mal,
Dizimado pelo caos,
Social.
2x caos, américa latina num caos, pouca estrutura social, ar baby aqui dita o mal, caos.
Represento sudamerica,
A chile y a mi tierra,
Um caos social no perdona tu bandera,
Jovenes niños, hoy cuidan sus fronteras,
El trompo y las bolitas se cambiaron por las guerras,
Marchas y protestas se apoderan de la tierra,
Y la paz del mundo en la iglesia se prospera,
El gobierno huele a caca y las moscas lo rodean,
Aunque anden vestiditos,
De corbata com correa,
La gente se pregunta ¿que pasara?
Cuando el caos supere su nível actual,
Viviran, lucharan,
O talvez moriran,
Pero debe haber una salvacion,
Igualar a todos es la solucion,
Mejor renta para poblacion,
Menos plata para educacion,
Temen el mensaje de nuestra cancion,
Manipulan todo en esta nacion,
Con um simple rap caera la confusion,
De a poko se crea la masificacion...
Economia alterada saldo zero obriga o ser humano,
Sem estudo sem trampo,
Mano logo sai catando,
Tentando,
Buscando,
A vida mais fácil pra conseguir se levantar,
E caminhar,
Não pensou nas conseqüências e já formou família,
Problema social bastante discutido,
Todo mundo tem palavras mais ninguém da ouvidos,
A isso,
Sinto,
Que a industria de bandidos aumenta a cota,
Sempre no corre e você vira as costas,
Não acredita no jovem que começou no mercado de trabalho,
Estuda rala pra caralho,
Sem pegar atalho,
E logo é barrado,
Por nunca ter trabalhado,
É claro,
E quando entera cinquentão,
Não,
Ta na condição,
Irmão,
São,
Parte da exclusão,
Alimentando o caos pondo lenha na fogueira,
Patrocinando a guerra pra quem vive de sobra na feira.
2x caos, américa latina num caos, pouca estrutura social, ar baby aqui dita o mal, caos.

Ler ouvindo a música

Aos Poetas (2011)

Vou falar de coisa que acontece, vou falar de coisa que enlouquece,

Quando um poeta escreve e chora, é pouca coisa que consola,
Recordações relevantes que passam pela memória,
Itinerário de uma vida toda,
Caneta papel e vai surgindo coisas,
Se considera sábio,¬¬ então é sábio o bastante pra me compreender,
Que você sabe é sábio, tudo bem mais tem muito ainda que aprender,
Dizer coisas que ninguém chegou a pronunciar,
Fazer discípulos sábios prontos pra te escutar,
Jamais deixar, a ignorância falar, pro cê não complicar,
Mais é difícil né jhow,
Cê canta rap quase ninguém conhece é você mesmo que promove seu show,
Cê tá certo em seu corre, só desiste quem morre,
A vitoria gernima naquele que nasce pobre,
Então viva, viva! chega comigo e confira,
Talvez o que rima esperança tem a panela vazia,
Que lutou pagou a água agora vem a energia,
Encara de frente o cobrador porque odeia a mentira,
E a letra sai de acordo com a tristeza que eu sinto,
Cada um tem sua hora essa é a minha então me escuta amigo,
A humildade dos manos e das minas que sempre andou comigo,
Mais nessa hora a gente sente sozinho,
E a tristeza é saber que falta alguém no caminho,
Disfarça, tomando bira,
Fumaça, vê se alivia,
Na praça, e a noite vira,
Eu sinto falta de alguém, eu sei quem,
Mais preciso de alguém, pra me mostrar alem,
Do que minha mente limita,
Quando um poeta chora não é diferente de ninguém quando a tristeza fica.

Como eu queria me libertar de mim, de todos os prazeres que vão perecer, me leva, me cega, me tranca numa cela, eterna, que gera, guerra, de idéias, contra meu próprio ser.

Palavras pronunciadas e falta raciocínio,
Se tá certo ou errado quem te responde é o destino,
Quem vai ligar uma ponta rilex e deixar fluir,
Conversar normalmente quando o tuim vim,
É outro mundo meu bom,
A passagem pra esse muda um pouco de tom,
Num condeno não ninguém conhece o futuro,
Quem sabe um dia eu vou de ônibus pra esse mundo,
Mais a favela no momento necessita de ti,
Se ocê faltar no pelotão desequilibra pá nós progredir,
E as coisa vai continuar do jeito mais difícil,
Sendo enganado a culpa é do povo certo é o político,
Inversão de idéias assassinatos psicológicos,
Que te trás desanimo e cê sabendo que é óbvio,
Que existe um propósito,
Mais as vezes faz um reverso do lógico,
Latrocidas homicidas de raciocínio,
Sabedoria pra falar glorifica um caminho,
Se algum dia eu me contradizer, pode ser,
A morte da vários caminhos pra você escolher,
Sigo no certo talvez praticando o errado,
E o resultado, felizmente não foi antecipado,
Uma lagrima que desce simboliza muito,
Uma palavra carrega vários sentidos nesse mundo.

Como eu queria me libertar de mim, de todos os prazeres que vão perecer, me leva, me cega, me tranca numa cela, eterna, que gera, guerra, de idéias, contra meu próprio ser.

Controlar os sentimentos ninguém controla,
Mais entende-los te faz ter uma melhora,
Concordar com alguma coisa que alguém te fala,
Tem que muita certeza pra mente não ser cambiada,
Tá deixando a vida levar, como a morte quer,
Tudo é em prol de nada quando acaba a fé,
Sou apenas alma e matéria como você,
Tentando alguma coisa nessa vida pra sobreviver,
Preso, não se sua mente tá presa seu corpo vira refém,
Faz o mal insiste no mal pensando que tá bem,
Toda vez eu tiro um tempo e imagino,
Como tá meus truta trancado no presídio,
Lembranças vem, vem, lembranças vão também,
E vejo o mal fazendo o bem, pra te convencer porém,
Existe sempre um caminho se você perceber,
Dar um valor em você, parar pra ver,
As coisas pequenas que faz você viver,
Talvez o caminho pra felicidade a estrada seja um pouco distante,
Mas ame família e amigos e a luz será mais brilhante,
Um coração sem malicia entende meu semblante,
Quando um poeta chora pode ser um espelho não tanto como antes.

Como eu queria me libertar de mim, de todos os prazeres que vão perecer, me leva, me cega, me tranca numa cela, eterna, que gera, guerra, de idéias, contra meu próprio ser.


Ler ouvindo a música

Afrikamerikalatina (2008)

6X Latinoamericafrica...

AFrikAmerikaLatina meu lar,
Força a nosso povo muita fé pra caminhar,
Terceiro mundo tem favela e tem ?perifa?,
E nossa cultura popular tempera a vida,
Mais tá muito difícil de viver em paz,
Policia tá matando nosso povo ?pa carai?,
Mudança vai vim, talvez vai demorar,
Mais quem vai seguir os princípios ate lá,
Quem não se vender vivera,
E quem da mal exemplo um dia pagara,
Quem não se vender vivera,
E quem da mal exemplo um dia pagara.

6X Latinoamericafrica...


Ler ouvindo a música