Grito Rock 2013

Wesley cantando Tipo de rua

AFAL

Apresentação no Grito Rock 2013

FAMU 2012

Cantando À favela

FAMU 2012

"Quando sua vida mudar favela dirá amém, só não se esqueça do bairro pobre de onde veio"

domingo, 16 de setembro de 2012

Real pátria

Real Pátria

AFAL

Real pátria
América latina para os latinos,
Simón Bolivar segregação do imperialismo,
a favela está morrendo e não é só o corpo,
sedentária consumidora desse mundo novo.
De aparências escolas televisivas,
proporcionado a miséria em dose coletiva,
desrespeitar professor aumenta o ego próprio,
engrossando as grades do pensamento, lógico!
a formação cultural de nossos semelhantes,
provém da força de vontade em batalhas grandes.
Um espelho próximo para ajeitar o uniforme
e seguir na caminhada desviando dos golpes,
e não ser massa de manobra com o pensamento curto,
escravizando o seu tempo sem colher nenhum fruto.
Uma engrenagem para o sistema financeiro,
que transforma sua felicidade em luxúria e dinheiro.
Erga a cabeça favelas o futuro é “nóis”!
A responsabilidade é que exalta heróis.
Que a essência do amor penetre em cada barraco,
porque justiça divina está vendo o seu trabalho.
Cada passo dado confiando em Jeová,
concretiza o itinerário para a vitória chegar.
Vem cá;
olhe para o vizinho e veja um soldado,
olhe a cor da camisa, situação, é do seu lado.
2X
Apenas um me leva a crer.
Um só país uma bandeira ter,
que represente nosso povo, nossa raça.
América Latina nossa real pátria.
É um efeito bumerangue;
crianças vendo sangue,
capitalismo errante,
ganha membros a todo instante,
a nossa fidelidade tem que falar mais alto,
compartilhar com três pessoas o seu único prato.
Não se vender,
a mídia que hipnotiza você.
Permanecer,
com sua identidade até morrer,
olha para você ver;
-Tem que estudar.
-Raciocinar.
-Tentar mudar.
“Maluco” vem cá!
Tenta quebrar,
a estatística quem vem para limitar,
os de cá.
E aponta dados frustrantes que subtrai sonhos,
e numa granja social reproduzem monstros
desinformados, afetados pelo capitalismo,
para ser fiel a família põe sua vida em risco.
Estamos perdendo a essência a cada minuto rodado.
Estamos perdendo semelhantes a cada copo virado.
E a favela segue sem discussão.
Movimento de rotação
em um eixo concreto do grande cidadão padrão,
casa trabalho, depois trabalho casa,
reduzindo sua liberdade em uma cultura escassa.
Sem lazer, sem ler,
doze horas no trabalho sem tempo para viver,
e os irmão que morreram lutando pela gente,
merecem um não imperialismo firme e consciente.
Pense!
2X
Apenas um me leva a crer.
Um só país uma bandeira ter,
que represente nosso povo, nossa raça.
América Latina nossa real pátria.


Ler ouvindo a música